Pavilhão de serviços

O pavilhão de serviços localiza-se numa zona rural do interior do estado de são Paulo. O projeto pode parecer distante do tema proposto uma vez que não se apresenta num contexto urbano de embate entre espaço púbico e privado. Entretanto, o arranjo do programa num terreno sem bordas ou limites, na busca de se criar um espaço de acolhimento para o descanso dos trabalhadores rurais é, sobretudo, uma negociação entre situações antagônicas.

O programa deste projeto contém um refeitório para os trabalhadores da colheita de laranjas da fazenda, e vestiários para entrada e saída dos turnos. Para sua implantação foi destinado um espaço do extenso terreno, próximo das oficinas de manutenção dos veículos e equipamentos também utilizados para o trabalho.

Desta maneira, o projeto tenta responder a estas demandas com a necessidade de delimitar o espaço para estas atividades, sem desconectar o trabalhador do entorno. Era preciso um espaço de descompressão dentro do local de trabalho, mas sem o desligamento de seu contexto, posicionando o trabalhador frente ao entorno e a sua realidade.
A construção cria um espaço acolhedor e ao mesmo tempo integrador, uma separação espacial, mas sobretudo conceitual.

Para isso, dissolvemos os limites desse pavilhão para permitir que o trabalhador enxergasse com outros olhos a realidade de seu trabalho. Construiu-se um anteparo, uma barreira, sem a separação ou isolamento: um filtro desta continuidade tanto do espaço quanto do trabalho.

A solução aplica novos conceitos a elementos comumente utilizados como barreiras e limites. Os muros aqui construídos têm a preocupação de revelar o exterior e conectá-lo com o espaço abrigado. Delimita-se um espaço sem desconectá-lo da atividade maior que justifica sua existência. Ao invés de uma cerca, um filtro, atrelado à uma sombra, servindo de abrigo.

Um muro de ar, vento e luz.

ficha técnica

localização: santo antonio de posse - sp, brasil
área: 80.0 m2
ano do projeto: 2015
obra: 2017

parceria com andré scarpa